28 dezembro 2013

The problems of Portugal can't be solved in three years

The accumulated imbalances will take another ten or fifteen years to be resolved. The reform effort of the economy and to the consolidation of accounts of the State will have to be pursued in the next ten to fifteen years regardless of which party is in power.

Any Constitutional leads must be replaced by measures that are likely to have more adverse effects on the portuguese economy.

This imbalances and distortions was accumulated over decades and can't be solved in three years adjustment arising from external assistance.

Ano Novo, Vida Nova

Mas...

O que vai acontecer aos salários e pensões em 2014 ?
Os impostos vão aumentar ?
A electricidade e o gás vão ficar mais caros ?
Os juros da casa vão subir ?

Assim,a  factura doméstica vai ficar mais cara.

Falar ao telefone ou ver televisão vai custar mais a partir de janeiro de 2014. Os operadores de comunicações já comunicaram as subidas de tarifários quer para os telemóveis, quer para os serviços fixos (voz, internet e televisão).

O que tem sido feito para evitar a tendência para a redução dos salários e pensões ?

De acordo com o Relatório do Banco de Portugal para dezembro, a receita fiscal do Estado aumentou 8,4% em relação ao período homólogo do ano anterior, com destaque para o agravamento do IRS.

Foi o sector financeiro, o que registou maior aumento do desemprego. 
4.240 pessoas provenientes de actividades financeiras e seguros, estão à procura de novo trabalho.


26 dezembro 2013

Between 100 to 120 thousand Portuguese emigrated this year

Between 100 to 120 thousand Portuguese left the country this year, a very high emigration but remained stable due to lack of employment in other countries.

Although there are no official figures, the Portuguese Government admits that the number of Portuguese emigrants is similar to last year - about 100-120 thousand.

European countries, especially France, are still the main destinations of Portuguese, with Angola also attract similar numbers to last year, around 25 thousand.

No one is to check the output of Portuguese emigrants to Brazil, mainly due to lack of equivalence for certain professions, such as engineers and architects, who can not exercise that country.

About Mozambique, also the values ​​remain the same for 2012, ie, three to four thousand Portuguese were living this year to the African country, where the volume of construction has not increased much.

Increasing exports is a positive indicator in increasing production and creating jobs in Portuguese soil.

18 dezembro 2013

The reduction of wages in Portugal and the troika

Troika insists on wage cuts in the private.

Portugal runs the risk of concluding a further adjustment program, the third in less than half a century, without changing some of the fundamental aspects of their economic architecture.

This tenth exam troika nothing seems to have happened. The government ceased to be an active agent of structural reforms and left the work incomplete. And unfortunately, we are only prepared to win with the euro when we allow wages fall as well as we allow wages to rise.

Although the social partners and even the government are against the idea, the 10th report of the troika review, recently published claims that there is more flexibility in the labor market.

International creditors argue, therefore, that the adjustment of the economy must be based on " increased flexibility in product and labor”, an expression that can lead to a new troika pressure to lower wage income in the private sector.

The purchasing power of the Portuguese was 29 % below the OECD average in 2011

The purchasing power of the Portuguese gives the gross domestic product (GDP) or value of all final goods and services produced in a given year.
Between 2008 and 2011 the Portuguese were poorer compared with the purchasing power of the average of OECD countries.
Gross capita expressed in Purchasing Power Parity (per capita GDP), per domestic product of Portugal in 2011 stood at 71% of the average of the Organization for Economic Cooperation and Development .
This indicates that in that year, the purchasing power of the Portuguese was 29% lower than the average of the 47 countries covered in this indicator released on Wednesday by the OECD, which uses a new methodology to calculate.
A new methodology for this indicator, which is published every three years incorporates new weights for the three thousand goods and services that make up the basket of prices that is integrated in GDP.
In 2008, this same indicator placed Portugal with a GDP per capita of 73 %, which means that the Portuguese viewed in this lapse of three years, the purchasing power recoil compared to an OECD average.
Still, the Portuguese suffered a less severe drop than that experienced in other peripheral countries of the euro. The purchasing power of the Greeks, which was 14% lower than the average in 2008, is now 26 % lower than in 2011. In Spain the reduction was also sharp, from 4% to 11% below average.
Luxembourg, partly because it is a financial center and the territory where many foreigners residing in neighboring countries work, has by far the highest GDP per capita , 146 % above the OECD average. It follows Norway (72%) and Switzerland (43%). Mexico and Turkey are the two countries with the lowest level of life of the OECD, with a power of less than half the average purchase.
The countries that most improved their relative position between 2008 and 2011 stand out Israel (from 26% to 16% below average), Mexico (56% to 52% below average) and Poland (48% to 40% below average) .
Among the larger countries highlights the change in the UK, which in 2008 had a purchasing power of 7% above average in 2011 and is 3% below average. Germany (from 14% to 8% above average) and France (1% up to 1% below average) also worsened.
It remains to wait for the next triennium.

Portuguese Government moves forward with termination for senior technicians of the State in 2014

The Government of Portugal will open a new program termination in the State for senior technicians in early 2014 which will have the same conditions of the program which ended in November.

The information disclosed was sent this morning by Secretary of State for Public Administration, during a meeting of more than two hours with the Common Front of Trade Unions of Public Administration.

Was today handed a new ordinance terminations for senior technicians from 2014 and remaining categories, indicated by service.

Are employees of the health, education, central services, leaving out only doctors, nurses, employees of the Tax and Customs Authority and local government.

One third of the Portuguese never used the Internet

One third of the Portuguese never used the Internet, the third highest of the European Union, just behind Cypriot and Polish (32 % in both cases), according to a Eurostat survey released today in Brussels.

There are, however, 69 % of nationals who delivers taxes online, probably because the citizens requesting this service to others.
Thus , over 40 % use the internet to interact with public authorities and services , primarily to deliver their tax returns ( 69 % ) , request personal documents ( 20 % ) , request social benefits ( 16 % ) and resolving issues related to education ( 9 % ) .

The same study reveals that over 60 % of EU citizens use the web daily and that the 28 member states, 79 % of households had Internet access in 2013 and 76 % had their own connection, compared with 55 % and 42 % respectively in 2007.

Only 62 % of homes in Portugal have internet connection, the fourth lowest value among the 28 Member States, where the average reaches 79 %, ranging from 54 % in Bulgaria and 95 % in the Netherlands.

The country where internet access was greater in 2013 is the Netherlands (95 % of households) and Luxembourg (94 %). On the opposite side is Bulgaria ( 54 % ) and Greece ( 56 % ) .

And if 84 % of people in Denmark uses the internet daily in Romania reveals that 42 % never used.

18 novembro 2013

Riscos crescentes no crédito à habitação na Grã-Bretanha

A correção nos preços das casas britânicas teve o mais rápido crescimento de risco citado pelos bancos numa pesquisa publicada pelo Banco da Inglaterra (BoE) na passada segunda-feira .
A última pesquisa semestral do banco central de ameaças económicas vistas pelos bancos, construtoras, seguradoras e gestores de ativos destaca o impacto de baixas taxas de juro sobre os preços das casas que têm subido acentuadamente.
Aumentou a perceção de risco em torno dos preços dos imóveis.

As preocupações surgem concentradas quase exclusivamente no mercado residencial, onde se foca o risco numa eventual correção dos preços das casas.
De acordo com o BoE, não existe bolha imobiliária.
O BoE informa que as duas maiores preocupações entre os bancos e outros players do setor financeiro se concentra nos níveis de dívida pública na Europa e nos Estados Unidos e a ameaça de uma recessão económica.

fonte:

The Portuguese economy is no longer sinking

Unemployment declined and employment increased. The interest rates on government debt are decreasing. However the framework of the Portuguese economy has remained unfavorable in 2013. The reduction of public expenditure Portuguese declined for the third year, reflected in personnel expenses and costs of procurement of goods and services.

Ireland is out of the scope of the troika without insurance program precaution, even though it may come to use it later. The crisis in the euro area is controlled, but not resolved. Portugal is able to enter a new phase. Depends who directs the destinies of Portugal. The government, the opposition, the President and the Constitutional Court. But still the deteriorating situation in the labor market, especially the reduction of the workforce, job losses, significant growth of long-term unemployment.

17 novembro 2013

People talking about poor people

One of the worst things that are happening in Portugal there is a bunch of people talking about poor people who are not poor and who, on behalf of the poor, want to defend your income. 

People talking about poor people
People talking about poor people


Most pensioners are not poor and are pretending to be poor. And the real poor nobody talks or when he speaks, is to give rights to all other.

Redução dos 24 meses de fidelização contratual.

O mercado das telecomunicações, no seu estado atual, não permite aos consumidores beneficiar das várias ofertas disponíveis. 
A principal razão é a imposição pelos operadores de períodos contratuais mínimos de 24 meses e de penalizações pelo seu incumprimento.

24 Meses é um período excessivo e desincentivador da mudança de operador, penalizando os consumidores, não só porque impede novas e melhores ofertas, mas também porque não responde aos desafios da sociedade portuguesa atual.

Paralelamente, sempre que o consumidor tenta mudar de operador durante este período mínimo, são lhe cobrados encargos desproporcionados.

16 novembro 2013

Public officials with cuts from 675 euros in their salaries

Portuguese Government accepts few changes to the State Budget (OE) proposed by the PSD and CDS.

Public officials with cuts from 675 euros in their salaries


The Government passed the bar from which there will be cuts in civil servants' salaries go from 600 euros to 675 euros. The disposal of the Ministry of Finance comes after several days of negotiations with the PSD bench, which had proposed that the stakes were higher minimum.

14 novembro 2013

Portugal out of technical recession

The Portuguese economy grew in the third quarter, with GDP rising 0.2% over the second quarter, but still remained in negative values ​​when compared with the same period last year (same period), according with the estimate of Gross Domestic Product (GDP) in the third quarter, released today by the Instituto Nacional de Estatística (INE).

Portugal out of technical recession
Portugal out of technical recession


This increase of 0.2% in GDP in the third quarter over the second quarter, comes after a 1.1% growth in the second quarter of the year compared to the first three months of the year.

This shows the output of Portugal's technical recession which lasted two and a half years.

However this conclusion does not solve the problem of unemployment or the pressure reducing wages.

source:
http://www.ine.pt/

13 novembro 2013

Portugal has more billionaires and these are richer despite crisis

The European countries with the most billionaires are Germany (17,820) , United Kingdom (10,910), Switzerland (6,330) , France (4,490) and Italy (1,625).

The number of billionaires in Portugal - with fortunes in excess of 25 million - increased by 10.8 % to 870 people last year, despite the crisis being experienced in the country, according to a report by Swiss bank UBS.

Portugal has more billionaires and these are richer despite crisis

The "Report of the 2013 World Ultra Wealth" in Portugal confirms that not only increased the number of billionaires increased as the total value of their fortunes, from 90 to 100 billion dollars (up 11.1 %).

According to this study the increase in the number of billionaires in Portugal , one of the countries most plagued by crisis in Europe , was higher than the European average (8.7) and the value of their wealth has also increased to a value greater than the growth in average Europe (10.4%) .

The crisis seems to have been too favorable to large fortunes in the country worse off in recent years, Greece , where the number of billionaires grew by 11% (to 505) and the value of their wealth increased by 20 % (to 60 billion euros).

Rising minimum wage in Portugal

The President of the Economic and Social Council (CES), José Silva Peneda, criticizes the "obsession" of the 'troika' in reducing labor costs in Portugal and defends the rising minimum wage, opposing the position of the creditors .

If there is material that is typically social dialogue is the national minimum wage (NMW) and political power have to legislate about it. But clearly, the first sign is the social agreement that should give the social partners and have shown themselves more than available to discuss the matter, but the 'troika' does not.

Rising minimum wage in Portugal

It is important that the social partners could negotiate, the rise in the minimum wage in Portugal, currently in 485 euros .

However, they can not be applied, since it does not allow the troika until June. But all the social partners, including employers confederations, have shown themselves available to implement this increase from January next year.

12 novembro 2013

Alentejo wine exports to China rise 170% in five years

China now represents 4. º export market for wines from Alentejo, Portugal, outside the EU, with exports increasing 170% over the past five years, according to data from the Alentejo Regional Wine Commission (CVRA). 

The Chinese market has enjoyed steady growth for Alentejo wines, although it is a small export base. 
  
Citing statistics from the past five years, between 2007 and 2012, exports to China "represented 170% growth", which demonstrates the potential of this market and the investment by the wine companies. 
  
Sales of Alentejo wines have always been growing and China is no longer the 6. º to become the fourth. Third largest export market, ranking third countries (outside the EU). 

Alentejo wine exports to China rise 170% in five years 
  
Last year, according to the CVRA, exports to the Chinese market accounted for 7.05% of the total sales of wines from Alentejo (DOC Alentejo and Vinho Regional Alentejo) to outside the European Union. 
  
In volume, the Alentejo exported to China close to 208,000 liters of wine in 2007, but five years later, "the Chinese market represents more than half a million liters." 
  
In absolute terms, it is still one of the biggest markets, but sales have increased and this should be taken into account.

The interest of the sovereign debt of Portugal are down to two years and up to five to ten years, in which time remained below 5 respectively and 6%.

Interest to two years are falling steadily since there are 12 consecutive sessions closing below 4%, ie at levels recorded in August.

Today were being traded at 3.301%, down from 3.348% to close Monday, the day ended below 4%, by 12.

Session in a row since August 28. On 13 September, the interest in this period closed at 5.987%, its highest level since the beginning of the year.

Tax amnesty yields over 143 million in first week

The Portuguese Ministry of Finance indicates that the amount collected under the "tax amnesty" for taxpayers with tax debts exceeded 143 million in just over a week.

Tax amnesty yields over 143 million in first week

The Minister of Foreign Affairs of Portugal - Rui Machete - tries to mend speech

The Minister of Foreign Affairs of Portugal - Rui Machete - tries to mend speech

Portugal is out of technical recession


After the controversy surrounding their recent statements by the Minister of Foreign Affairs of Portugal, has said that the rate of 4.5% was only a "mere possibility" and prefers to say now that "Portugal is out of technical recession"

08 novembro 2013

Planos de reestruturação para os bancos portugueses CGD, BCP e BPI

Em julho de 2012, pode lêr-se o seguinte acordo firmado entre Portugal e a Troika:


Portugal, a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu (BCE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI) concordaram num programa de ajustamento económico. 

A recapitalização do setor bancário Português faz parte desse programa. 

Planos de reestruturação


A necessidade de apoio do Estado para o sector bancário português foi, em grande parte causada por uma combinação do ambiente económico difícil, a crise da dívida soberana, e um endurecimento das exigências de capital para os bancos.

As medidas de recapitalização, permitiram que os três bancos (CGD, BCP e BPI) cumprissem os requisitos do teste de esforço aplicáveis (stress tests) ​​e manter uma margem de segurança, tal como solicitado pela Autoridade Bancária Europeia.

fonte:

Portuguese Unemployment at two speeds

There are close to 840,000 unemployed people in Portugal and 56 000 are in this situation for over a year. The figures for the third quarter of 2013, such as the Instituto Nacional de Estatística (INE) released, are still alarming. Unemployment Rate in Portugal decreased to 15.60 percent in the third quarter of 2013 from 16.40 percent in the second quarter of 2013.

Portuguese Unemployment at two speeds
Portuguese Unemployment at two speeds
But also conveyed signs of improvement in the labor market, more consistent than a mere result of seasonal effects.

source:
http://www.tradingeconomics.com/portugal/unemployment-rate

24 outubro 2013

Crescer com fundos próprios

O futuro poderá ser problemático.
O país terá que se habituar a viver com juros elevados.
Será mais difícil que sobrevivam políticas públicas de estímulo ao crescimento.


Quanto ao financiamento, este não existirá ou será excepcionalmente restritivo. O futuro passa por crescer com fundos próprios.

Joao Pires

06 outubro 2013

Como ganhar dinheiro nas redes sociais




Como ganhar dinheiro no Facebook
Como ganhar dinheiro no Facebook
  1. Criar uma página na rede social
  2. Promovê-la intensivamente e de forma criativa junto dos amigos, sem cair na saturação
  3. Usar a publicidade das redes sociais para angariar mais seguidores
  4. A página deve ser atualizada regularmente e em períodos diferentes do dia
  5. A comunicação deve ser curta, objetiva e rápida
  6. Publicar fotografias nítidas e apelativas
  7. Investir tempo nas fotos escolhidas. Quanto mais for adequada, melhor hipótese de retorno
  8. Incluir o máximo de informação possível sem tornar maçador
  9. Contar uma história acerca do item
  10. Não publicar preços
  11. Quanto mais completa e bem redigida for a informação maior a possibilidade de aparecer nos resultados de uma pesquisa
  12. Promover pequenos concursos, adivinhas, ideias criativas para conquistar mais "Gosto"
  13. Publicar, se possível, em várias redes sociais, como o Facebook, TwitterGoogle+ ou Youtube
  14. Publicar atualizações regulares

Como ganhar dinheiro no Facebook
Como ganhar dinheiro no Facebook

13 setembro 2013

Os tremores políticos do governo português

O governo português, após alguns tremores políticos, evitou o colapso até agora.

O apoio intermitente do CDS tem contribuído para a instabilidade governamental.

A rigorosa execução das exigentes medidas de austeridade impostas pelos credores internacionais, vulgo troika, tem sido de difícil implementação.

A estabilidade política pais tem sido difícil de alcançar.

A aliança política entre o PSD e o CDS tem vindo a fragilizar-se.

Mesmo que o governo de coligação se mantenha, tem vindo a assistir-se ao seu enfraquecimento e perda de vigor.
Atrás destas fissuras governamentais, está a frustração dos portugueses.



Anos de cortes na despesa pública, saúde, segurança social e educação atiram o país para uma recessão económica longa e sem fim à vista.


Os benefícios prometidos desta forma tardam em aparecer.

O Produto Interno Bruto (PIB) apresenta sinais de recuperação tímida conforme os indicadores de conjuntura de agosto do Banco de Portugal (bportugal.pt/pt-PT/EstudosEconomicos/).

Os encargos da dívida pública continuam a disparar desenfreadamente nos membros da zona euro que procuram manter a austeridade, enquanto que se verifica maior estabilização económica nos países-membros que não aplicaram estas restrições como é o caso da Alemanha.

Na Alemanha o crescimento é escasso, mas o desemprego mantém-se baixo e o orçamento está controlado.

Mas as autoridades da zona euro estão ansiosos por apontar casos de sucesso e Portugal era uma promessa... não concretizada.

A Irlanda também é apontada como caso de sucesso... de curta duração! A Irlanda já voltou a cair na recessão.
Os esforços dos alunos-modelo não estão a dar os resultados pretendidos.

As reformas necessárias na função pública, não passam por despedimentos nem por reduções de salários sem regra como resposta ao chumbo do tribunal constitucional quanto aos pretendidos despedimentos na função pública. Verifica-se uma tendência de redução de postos de trabalho desde 2007 conforme informação da Pordata (pordata.pt/Portugal/Emprego).
As eleições autárquicas (http://www.autarquicas2013.pt/agendadas para  setembro apontam para uma derrota dos partidos da coligação da governação. Enfim, lá vem a Doce Alternância entre a coligação CDS/PSD e os PS.


Até o FMI que tem vindo a apoiar Portugal na recuperação da recessão económica, admite que a implementação do programa delineado pela troika enfraqueceu significativamente a recuperação económica.

A grande lacuna deste programa de recuperação é a falta de visão global do problema. 

Ninguém está a olhar para o quadro inteiro.

Ou a Europa arrepia caminho em relação à austeridade ou o resultado da receita será apenas mais pobreza (publico.pt/).

03 setembro 2013

Reutilização de manuais escolares SMARLE

SMARLE, serviço municipal de apoio à reutilização dos livros escolares. Este serviço, que funciona no gabinete do munícipe, todos os dias úteis, tem como objetivo a reutilização dos manuais escolares,  forma gratuita e sem burocracias, sendo destinado a todos os que necessitem de manuais escolares e a todos os que queiram partilhar os seus, fomentando o espírito de partilha entre a comunidade.

Reutilização de manuais escolares SMARLE
Reutilização de manuais escolares SMARLE

O SMARLE está associado ao Movimento Reutilizar.org, uma rede nacional de bancos de partilha de livros escolares, criado em 2011 pelo portuense Henrique Trigueiros Cunha e que tem como lema "Reutilizar é ainda melhor que reciclar".

01 setembro 2013

Marketing Digital

As empresas portuguesas têm um longo caminho a percorrer na abordagem ao marketing digital.

Os mercados mais expostos ao exterior acabam por ser aqueles com um maior investimento alocado ao digital.

Mas existe um conjunto de razões para o investimento ser reduzido em Portugal.

Existem quatro barreiras estruturais no mercado português.

- insuficiente know-how digital
- processos de mercado com a segregação da compra da criatividade e dos meios
- falta de competências no mercado para definição de estratégia digital
- inexistência de metodologias publicadas que ajudem a estruturar o desafio da estratégia digital.

No entanto o uso destes canais acaba por ser muitas vezes superficial.

As áreas com tendência de crescimento no investimento são lideradas pelo mobile e pelas redes sociais, espelhando desta forma os comportamentos do consumidor.

O digital prefigura-se uma oportunidade gigante, mas que se encontra por explorar.

É por aqui (ambiente digital) que os consumidores passam cada vez mais tempo e desempenham um conjunto mais alargado de actividades - entretenimento, informação, educação, socialização e compra.

Tem muitas potencialidades - venda, pré-venda, promoção, consumer insight, competitive intelligence, crowdsourcing (http://pt.wikipedia.org/wiki/Crowdsourcing), etc

Alcance global para empresas potencialmente exportadoras.

Altamente eficaz e mensurável, permitindo fazer investimentos certeiros e com elevado retorno.

Não tem praticamente requisitos de escala.

Esta oportunidade está disponível para todos de forma global e será agarrada por aqueles que se movam primeiro e da forma mais inteligente, aplicando iniciativa e estratégia no marketing digital.

29 agosto 2013

Situação financeira do país 1859

Custa a perceber a razão d'esta obscuridade nebuloza, a que se abriga e apega a sciencia dos nossos financeiros e estadistas. Para que isto é, não se sabe ao certo. Toda a gente faz as suas contas com lucidez, simplicidade e clareza. 

Ha mesmo tratados de escripturação mercantil, que ensinão o modo facil e compreensivel de arrumar os livros do negocio,  coordenar as verbas da receita e os capitulos da despeza, de pôr em dia as contas mais escuras e difficeis. 

Todos tem os seus livros de receita e despeza, todos sabem tomar nota do que devem, e do que hão-de haver, e só para as nossas finanças (Portugal) não ha-de haver um livro claro e facil, que explique os segredos da sua escripturação, nem uma sciencia accessível e desartificioza, que todos possão aprender e conhecer, e que explique e declare ao paiz em linguagem singela e franca a sua verdadeira e exacta situação financeira.

E é d'isto que antes de tudo nós carecemos hoje. Não conhecemos todos os encargos do estado, nem podemos avaliar o alcance e elasterio das receitas publicas. Ao orçamento não se pode perguntar nada. Alli tudo são mysterios, e tenebrozidades. As cifras não deixam vêr o mais tenue rayo de luz. A verdade está escurecida e toldada.

fonte:
O Jornal do Porto, 1859

28 agosto 2013

As fuzões politicas

Diz-se e sabe-se que o ministério actual nasceu da confederação de differentes parcialidades políticas, esquecidas com esse intuitos de mútuos aggravos, e antigos ressentimentos.
A oppozição, que se faz ao governo é principalmente derivada d'essa convenção política, que elevou ao poder homens de differentes procedências partidárias, e reprezentantes de oppostas escolas governamentais.

Jornal do Porto
Jornal do Porto

É necessário que se saiba o que há de repreensível no modo de ser da actual situação, ou o que tem de exagerados e improcedentes os argumentos, que se levantão contra a organização e conservação do ministério.

Esta questão não é de hoje, nem de hontem, é uma questão de alta doctrina política, versada e discutida desde que há governos constitucionais, e oppozições políticas, decidida sempre ao calor das circunstancias, e das conveniencias peculiares de cada situação.

Hoje é uma imoralidade, amanhã será uma exigenciados acontecimentos, ou uma necessidade da epocha.
Não se pode decidir no largo campo das abstracções doutrinais, prescindindo dos accidentes da politica, e dos acazos e indicações das oscillações partidarias.

fonte:
O Jornal do Porto, 1859

16 agosto 2013

Barramento de SMS e MMS de valor acrescentado

Foi aprovado e publicado o decreto-lei que regula os SMS e MMS de Valor Acrescentado


Lei n.º 42/2013
de 3 de julho

Artigo 45.º
3 — As empresas que oferecem redes de comunicações públicas ou serviços de comunicações eletrónicas acessíveis ao público que sirvam de suporte à prestação de serviços de valor acrescentado baseados no envio de mensagem, incluindo SMS (short message service) ou MMS (multimedia messaging service), devem garantir que se encontre barrado, sem quaisquer encargos, o acesso a:

a) Serviços que impliquem o envio de mais de uma mensagem ou o envio de mensagens de forma periódica ou continuada; ou
b) Serviços que tenham conteúdo erótico ou sexual.

4 — O acesso aos serviços referidos no número anterior só pode ser ativado, genérica ou seletivamente, após pedido escrito efetuado pelos respetivos assinantes ou através de outro suporte durável à sua disposição.

5 — A pedido dos respetivos assinantes, as empresas que oferecem redes de comunicações públicas ou serviços de comunicações eletrónicas acessíveis ao público que sirvam de suporte à prestação de serviços de valor acrescentado baseados no envio de mensagem devem, sem quaisquer encargos, barrar as comunicações, para tais serviços, independentemente da existência de contrato com o prestador desses serviços ou da sua eventual resolução.

6 — Para efeitos do número anterior, o barramento deve ser efetuado até 24 horas após a solicitação do assinante, por escrito ou através de outro suporte durável à sua disposição e facilmente utilizável, não lhe podendo ser imputados quaisquer custos associados à prestação dos serviços cujo barramento foi solicitado, após esse prazo.

7 — Anterior


Artigo 3.º
Disposição transitória
Ficam excecionadas da obrigação de barramento de comunicações prevista no n.º 3 do artigo 45.º as situações em que o assinante, em momento anterior à entrada em vigor da presente lei, tenha manifestado expressa e validamente, por escrito ou através de outro suporte durável à sua disposição, a vontade de aceder aos serviços, com exceção das mensagens de conteúdo erótico ou sexual, em que o utilizador tem que confirmar essa vontade por escrito ou através de outro suporte durável à sua disposição.

Artigo 4.º
Dever de informação aos clientes
Até à entrada em vigor da presente lei, os prestadores de suporte dos serviços de valor acrescentado têm que promover um aviso, por escrito, a todos os seus assinantes, informando sobre a alteração do regime de acesso aos serviços de valor acrescentado e sobre a necessidade de, querendo, solicitar o barramento dos serviços cujo acesso passa a ser facultado por defeito.

15 agosto 2013

O inevitável resgate financeiro de Portugal

Houve uma inevitabilidade sobre a decisão de Portugal em ter aceite o resgate da União Europeia para sobreviver à crise financeira cada vez mais onerosa.

O momento-chave foi quando Lisboa anunciou os resultados de um leilão de títulos. O dinheiro foi levantado a partir dos mercados, mas a um preço exorbitante, e o governo português foi confrontado com uma escolha simples: 
  • pedir emprestado aos mercados à taxa de 10%
  • pedir emprestado à União Europeia a metade dessa dessa taxa.

Os políticos andaram meses a declarar ao país que não existiria qualquer resgate financeiro ou alteração política e de repente torna-se claro que os acontecimentos saíram fora do controlo do governo.

Quais as consequências?

Primeiro lugar
Certamente não significa que a vida ficou mais fácil para Portugal, como os gregos e os irlandeses também podem testemunhar. 

Esta ajuda financeira proporcionada pela troika vem com amarras, 

Amarras da troika
Amarras da troika


e essas cordas significar o tipo de austeridade que levaram ao colapso do governo de José Sócrates. 

Em segundo lugar
Esta ajuda financeira não vai mudar o problema estrutural de uma economia que vive lutando para se manter competitiva dentro da união europeia. 

O custo dos produtos portugueses aumentou mais rápido que os da Alemanha, tornando-se menos competitiva, e, sem a válvula de segurança de desvalorização da moeda (já não existe a política cambial) e não será um período alargado de tempo com medidas austeras e com deflação que irá reduzir os custos domésticos.

Outras greves e agitações sociais se avizinham.

Em terceiro lugar, o tempo é importante

Será que o Banco Central Europeu (BCE) vai aumentar a taxa de juro dos empréstimos?

O BCE está alarmado com as recentes tendências da inflação e vai responder, tornando mais caro o empréstimo em curso, embora na última reunião do Conselho do BCE, a 1 de agosto, tenha decidido manter inalteradas as taxas de juro directoras.

Maiores taxas de juro para atacar a inflação provocam a desaceleração do crescimento e empurram para cima o custo do serviço da dívida: 

Esta é a pior notícia possível para a Grécia, Irlanda e Portugal, que estão a gerir dia-a-dia com elevados défices orçamentais e com as economias em recessão. 

O relatório de agosto do Conselho do BCE indica uma "estabilização da atividade em níveis reduzidos".

Finalmente temos Espanha

Aqui, a notícia foi melhor, com o diferencial entre as obrigações espanholas e alemãs a estreitar ligeiramente num momento em que os rendimentos da dívida portuguesa e irlandesa têm vindo a aumentar. 
A esperança é que Espanha se tem afastado de Portugal, apesar do baixo desempenho da sua economia.

Bruxelas espera que esta perspetiva esteja correta, porque Espanha é uma realidade diferente de Portugal:

É grande demais para falir e grande demais para salvar.

07 agosto 2013

Situação financeira portuguesa no Séc XIX

O que entre nós é mais desorganizado, incompreensível e anómalo é o sistema das finanças públicas. Não há ali ordem, nem método, nem regularidade fiscal, nem pensamento administrativo ou económico.
Tudo se tem criado e sobreposto ao acaso das flutuações políticas sem conexão nem uniformidade, sem estudo nem organização.

Cada ministério tem lembrado o seu expediente e acrescentado a anarquia caótica dos orçamentos com novos e sucessivos paliativos e até absurdos, onde umas vezes avulta a inepeia e a insensatez e outras vislumbra a má fé e a desonestidade.

Tome-se nas mãos um orçamento, folheiem-se algumas páginas, leiam-se os primeiros capítulos e digam depois, com a mão na consciência se aquelas colunas de algarismos são acessíveis a todas as inteligências e se a razão mais imparcial e mais perspicaz, pode, sem esforço, arrancar o fio e a luz da verdade àquele enredado labirinto, onde a ciência cautelosa dos nossos financeiros professos escondeu o segredo das receita e despesa públicas.

fonte:
O Jornal do Porto
numero 82
terça-feira 14 de junho de 1859

28 julho 2013

Triplicou o valor do incentivo fiscal


Triplicou o valor do incentivo fiscal de que pode beneficiar quando exige faturas com o número identificação fiscal (NIF).

A partir de agora o incentivo passa a ser de 15% do IVA constante de cada fatura. Esta alteração ocorreu através de Lei publicada no dia 24 de Julho, mas aplica-se a todas as faturas que foram emitidas com o seu NIF desde 1 de Janeiro, quando se refiram a prestações de serviços enquadradas nos seguintes setores de atividade:


i) Manutenção e reparação de veículos automóveis;
ii) Manutenção e reparação de motociclos, de peças e acessórios;
iii) Alojamento e similares;
iv) Restauração e similares;
v) Atividades de salões de cabeleireiro e institutos de beleza.


O valor do seu benefício fiscal já foi atualizado no site do e-fatura, no Portal das Finanças, podendo consultá-lo inserindo a sua senha de acesso.


A emissão de fatura é sempre obrigatória, mesmo quando não solicitada. Quando exige fatura, a AT assegura que o IVA que nela pagou será entregue ao Estado e não servirá para aumentar a economia paralela.

fonte: Autoridade Tributária (AT)

Veja também

Bruxelas dá luz verde à reestruturação dos bancos portugueses, mas impõe cortes mais suaves
(http://gestornosapo.blogspot.pt/2013/07/bruxelas-da-luz-verde-reestruturacao.html)

26 julho 2013

Bruxelas dá luz verde à reestruturação dos bancos portugueses, mas impõe cortes mais suaves

Os "remédios" impostos pela Direção Geral da Concorrência (DGComp) da UE, a aplicar às instituições financeiras portuguesas, ajudadas pelo Estado, são comportáveis e, em grande parte, fazem parte da estratégia que os bancos iriam seguir de qualquer forma, mesmo que a tal não fossem obrigados.
Assim, a Comissão Europeia considera que os planos de reestruturação da Caixa Geral de Depósitos (CGD), do Banco Português de Investimento (BPI) e do Banco Comercial Português (BCP) estão de acordo com as regras comunitárias, no que concerne aos apoios estatais.
Os planos de reestruturação do BPI e da CGD estão já formalmente fechados com Bruxelas. Quanto ao BCP, já existe acordo, mas não foi formalizado e o processo do Banif, que entrou mais tarde, ainda não está concluído nem garantida data para a sua aprovação. Há um ponto comum a todas as instituições: severa redução de estrutura - balcões e funcionários -, limitação dos salários dos banqueiros e proibição de realizar aquisições e desinvestimento no exterior, nos casos em que tal se aplica.
Recorda-se que o Estado português injetou 1,6 mil milhões de euros na CGD, cerca de 1,5 mil milhões no BPI e três mil milhões no BCP, tendo sido já reembolsado em apenas 580 milhões de euros.
O mercado acredita que a banca portuguesa não necessitará de fazer um segundo pedido de apoio financeiro à troika para se recapitalizar até final do programa em junho 2014.

Veja também
A crise de 2008-2009 e o nível do indice de confiança
(http://gestornosapo.blogspot.pt/2013/07/a-crise-de-2008-2009-e-o-nivel-do.html)

25 julho 2013

A crise de 2008-2009 e o nível do indice de confiança

Crise 2008-2009
Aconteceu precisamente o oposto em 2008-2009, quando aumentou o nível dos despedimentos e rescisões amigáveis, bem como desabaram os preços das casas (bolha imobiliária), em simultâneo com o ajustamento do mercado de ações.
A confiança do consumidor japonês destacou-se pela positiva no seguimento da implementação da política económica agressiva do primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, para estimular a economia.
O índice do nível de confiança diminuiu na América Latina, pelo segundo trimestre consecutivo. No entanto, os consumidores da América Latina e no Extremo Oriente permanecem mais confiantes sobre as perspetivas para a obtenção de trabalho e aumento da riqueza pessoal, nos próximos 12 meses.
Os norte-americanos foram os mais otimistas em relação às intenções de compra.
O Paquistão, Grécia e Colômbia registaram os maiores aumentos de confiança do consumidor entre o primeiro e o segundo trimestres de 2013, embora a Grécia ainda se situe nos mercados mais deprimidos a nível global.

24 julho 2013

Indice de confiança na Europa

Europa
Como os cortes na Despesa Pública, aumentos de impostos e desemprego elevado continuam a pesar sobre as famílias na Europa, a confiança do consumidor diminuiu em 14 dos 29 mercados europeus.
O consumidor europeu está em compasso de espera, vemos um conjunto distinto de camadas com consumidores alemães sendo o mais confiante, seguida pelos consumidores no Reino Unido, França e Itália e Grécia, onde a confiança é baixa e com tendência para diminuir.


indice de confiança na Europa

O Índice Global de Confiança do Consumidor subiu 1 ponto no segundo trimestre, para 94, depois de ter subido dois pontos no trimestre anterior. Os sinais dos consumidores permanecem pessimistas sobre as perspetivas globais.
O índice de confiança melhorou nos Estados Unidos, a maior economia do mundo, refletindo o aumento das oportunidades de emprego, os preços internos mais elevados e um mercado de ações a subir.
Quando os consumidores se sentem com algum dinheiro no bolso e também mais seguros sobre obtenção de emprego ou aumenta a perspetiva de manutenção do seu posto de trabalho, faz com que eles detenham maior nível de confiança.

Veja também
Os consumidores à escala global estão mais confiantes e menos preocupados com a procura de trabalho
(http://gestornosapo.blogspot.com/2013/07/os-consumidores-escala-global-estao.html)

23 julho 2013

Os consumidores à escala global estão mais confiantes e menos preocupados com a procura de trabalho

EUA, China e os consumidores japoneses estão mais otimistas no 2 º trimestre
·         A Indonésia permanece o mercado consumidor mais otimista
·         Português é o mercado consumidor mais pessimista
A confiança global do consumidor aumentou no segundo trimestre, com a perceção mais otimista sobre empregos, finanças pessoais e intenção de Despesa Pública nos Estados Unidos, China e Japão.
A Indonésia continua a ser o mercado consumidor mais otimista, seguido pelas Filipinas, tendo relegado a India para terceiro lugar.
Portugal manteve a sua posição como o mercado consumidor mais pessimista, que foi registada antes do início da crise política. Hungria e Itália surgem logo de seguida como os mercados consumidores mais pessimistas.

Veja também
Grécia aprova plano para despedir milhares de funcionários públicos
(http://gestornosapo.blogspot.pt/2013/07/grecia-aprova-plano-para-despedir.html)

18 julho 2013

Grécia aprova plano para despedir milhares de funcionários públicos

O governo de coligação grego, aprovou projeto-lei, para despedir milhares de trabalhadores do setor público. Protestaram milhares de trabalhadores em frente ao Parlamento, cantando slogans anti-austeridade.

Esta votação foi o primeiro grande teste para a coligação de dois partidos do primeiro-ministro Antonis Samaras, que perdeu um aliado, desde o corte abrupto da emissora estatal, no mês passado, e o deixou com uma maioria escassa de cinco lugares no parlamento de 300 lugares.

Grécia aprova plano para despedir milhares de funcionários públicos
Grécia aprova plano para despedir milhares de funcionários públicos


O projeto inclui planos extremamente polémicos com transferência e programa de rescisões para 25 mil funcionários públicos - principalmente professores e policias municipais – tendo provocado uma semana de marchas quase diárias, manifestações e greves em protesto.

Cerca de 5.000 gregos inundaram a rua, frente ao Parlamento, com a aproximação da votação, entoando algumas frases como: "Nós não vamos sucumbir, a única opção é resistir" e segurando balões pretos – a afluência às urnas foi muito menor do que nos protestos do ano passado.

"Após 12 anos de trabalho, eles despedem-nos numa noite", disse entre soluços, Patra Hatziharalampous, um guarda de escola de 52 anos de idade, em uniforme. "Se o governo grego tiver alguma coragem, devem dizer não ao resgate financeiro e recuperar alguns artigos do projeto de lei".

As reformas foram aprovadas horas da chegada a Atenas para sua primeira visita à Grécia desde a crise da dívida começou em 2009, do ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schaeuble - principal proponente da Europa da austeridade e responsabilizado por muitos gregos pelos seus problemas.

Antes da votação, Samaras anunciou o corte de impostos na Grécia desde o início da crise que dura há cerca de quatro anos, numa tentativa de acalmar os protestos de uma opinião pública cada vez mais desesperada.

"Nós não vamos relaxar", proferiu Samaras num discurso-surpresa na televisão ao anunciar que o imposto sobre o valor acrescentado (IVA) em restaurantes seria reduzido de 23% para 13%, a partir 1 de agosto.


Veja também

Despedimento coletivo (http://gestornosapo.blogspot.com/2013/07/despedimento-coletivo.html)

13 julho 2013

Despedimento coletivo

Segundo dados da Direção-Geral do Emprego e das Relações do Trabalho (DGERT), o número de empresas que recorreram ao despedimento coletivo aumentou também 30% até maio (de 387 para 482). 

12 julho 2013

Desemprego jovem

A Europa encara um sério e grave problema. O flagelo do desemprego juvenil na Europa não pára de crescer. Quase um quarto dos jovens europeus com menos de 25 anos não tem emprego. A França e Alemanha já anunciaram um programa de 6 mil milhões de euros. 
Ainda assim, os jovens qualificados reúnem mais hipóteses de obtenção de emprego.

Veja também
Desemprego na zona euro em máximos
(http://gestornosapo.blogspot.pt/2013/07/desemprego-na-zona-euro-em-maximos-da.html)

11 julho 2013

Salvação Nacional sem dúvidas

Para quem nunca se engana e raramente tem dúvidas, trata-se de uma jogada de alto risco político, estratégico e macroeconómico. Tudo isto porque o presidente da república portuguesa, Cavaco Silva, decidiu sair da sombra política e exercer uma obrigação de presidente: pronunciar-se sobre o estado do país.
Propõe uma Junta de Salvação Nacional, porque não acredita neste Governo "remodelado" e comandado por Paulo Portas e coadjuvado por Passos Coelho.
Vamos ter governo até junho de 2014 ?

10 julho 2013

Agravamento no atraso nos pagamentos

As empresas portuguesas registam um atraso médio de 31 dias nos pagamentos no primeiro trimestre, tendência em agravamento desde 2008, colocando Portugal como um dos piores em relação à europa.
Joao Pires

Desemprego na zona euro em máximos da década de noventa

A taxa de desemprego tem vindo a agravar e já ultrapassou 12% em maio, nos países do euro. 
A diferença das taxas de desemprego na zona euro tem vindo a aumentar desde o início da crise financeira em julho 2008.
No conjunto dos 17, Portugal manteve a terceira taxa de desemprego, a seguir à Grécia e Espanha.
As tendências do desemprego são diferentes, conforme variam os grupos de população.

Fontes: OCDE e Eurostat

A Europa incentiva a criação de agência com poderes para fechar bancos em dificuldades

A Comissão Europeia (CE) propôs a criação de uma agência para salvar ou fechar bancos falidos, mas a ausência de um fundo próprio de resgate imediato para fazer o saneamento financeiro desses bancos pode trazer dificuldades na concretização desse objetivo.

A Europa prevê lucros no fecho do segundo trimestre

Alimentação, bebidas, tecnológicas e empresas financeiras europeias serão as estrelas dos ganhos do segundo trimestre, dado estes segmentos encontrarem-se em franca recuperação, enquanto que países, como Portugal, que vendem para os mercados emergentes podem vir a perder nesse período.

Crise na governação portuguesa

Estamos habituados a crises políticas como hecatombes, derrocadas, tsunamis, furacões e outros fenómenos da natureza. 
Aquilo que mais custa aos cidadãos e contribuintes é a credibilidade que o país gozou até hoje e que levou anos a conquistar e que em escassos segundos se destruiu com uma ou várias declarações políticas ao país.

Foram dois anos de árduos sacrifícios.

Já se ganhou muito, nomeadamente no regresso aos mercados financeiros, pois o país não pode viver sem o refinanciamento.
Também se ganhou na descida da taxa de juro, que hoje voltou a galopar sem fim e a recuperação parcial da soberania financeira.

04 julho 2013

A crise criada pelas demissões dos ministros das Finanças e dos Negócios Estrangeiros de Portugal


O primeiro-ministro de Portugal, Pedro Passos Coelho e o seu parceiro de coligação no governo, Paulo Portas arriscaram uma crise política que poderá deitar por terra todos os esforços desenvolvidos ao longo de dois anos para emergir do resgate internacional.

O primeiro-ministro disse que o seu governo iria sobreviver à crise criada pelas demissões de ministro dos Negócios Estrangeiros Paulo Portas e o seu ministro das Finanças Vitor Gaspar, esta semana, o que coloca em causa a maioria na Assembleia da Republica.

"Estou confiante de que seremos capazes de superar essa dificuldade", proferiu Passos Coelho aos jornalistas depois de uma reunião dos líderes europeus para discutir o desemprego juvenil, em Berlim.

O CDS-PP de Paulo Portas reuniu durante todo o dia na quarta-feira e decidiu que o líder iria falar com o primeiro-ministro, numa tentativa de encontrar uma maneira de sair desta crise politica, a pior crise desde que Portugal recebeu o resgate financeiro em 2011.

Luís Queiró, membro do CDS-PP, disse que as negociações teriam como objetivo "definir as circunstâncias que garantem uma solução viável para os governantes de Portugal".

Apesar dos movimentos para curar a ferida, que foi provocada por dúvidas profundas e crescentes em Portugal mais austeridade implacável do governo para cumprir os termos do seu resgate, muitos analistas disseram que era apenas uma questão de tempo até o governo cair.

O Gabinete do Presidente Aníbal Cavaco Silva disse que tinham já começado as reuniões com os partidos políticos para encontrar uma solução, durante a próxima semana.

A oposição quer eleições já

António José Seguro, líder da oposição, deixou já claro e após a reunião com o Presidente da Republica que o seu partido quer eleições antecipadas.

"Nós consideramos que o país tem que voltar rapidamente para ter um governo com coesão e força", Seguro disse aos jornalistas, propondo um voto em 29 de setembro, para coincidir com as eleições locais.

Sem solução iminente, os preços das ações tiveram uma queda abruta na bolsa, tendo até sido suspenso o short-selling.

Os credores de Portugal - a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional (FMI) - eram esperados em Lisboa para iniciar a sua próxima revisão da economia em 15 de julho, mas em face destes acontecimentos mais recentes, a visita pode agora ser adiada.

12 junho 2013

Os países mais pobres contribuem para o financiamento do FMI

Os países mais pobres que contribuem para o financiamento do FMI reclamam ter que sustentar a Europa rica. 

Mais da metade dos empréstimos do FMI vão para a zona do euro. O FMI já contribuiu com cerca de um terço do dinheiro usado para resgatar países como Portugal, Irlanda e Grécia, com o restante vindo de outros países da zona do euro.

Historicamente, a Europa nunca havia tomado empréstimos do FMI. Agora os empréstimos têm vindo a aumentar de forma dramática.

Líderes e cidadãos de países como a Grécia, Portugal e Irlanda, queixaram-se amargamente sobre os termos que o FMI, como parte da troika, juntamente com o Banco Central Europeu e a Comissão Europeia, impuseram condições em troca de empréstimos.

Além de cortes orçamentais e aumentos de impostos, os governos têm sido pressionados para reverter algumas regras que protegem os trabalhadores contra o despedimento e impor outras mudanças impopulares.
Mesmo se o FMI repensar a sua posição sobre a austeridade, irá continuar a exigir condições estritas porque essa é a única vantagem que a organização tem para obter o seu dinheiro de regresso.



Mas mesmo aqueles que têm dúvidas sobre o papel do FMI na Europa não vejo nenhuma alternativa. A organização será, inevitavelmente, uma força na Europa nos próximos anos, por causa do dinheiro que ele emprestou e por causa de seu papel tradicional como cão de guarda sobre as políticas económicas e orçamentais dos seus membros.